quarta-feira, 20 de maio de 2015

Abandono

Alguns dias atrás vi uma reportagem que me deixou abismado.
Uma criança de doze anos ligou para a polícia e relatou a sua situação para o policial.
- Central de Polícia. Em que posso ajudar? - disse o policial com aquele tom burocrático.
- Estou preso na minha casa com minha irmã. Minha mãe nos deixou trancados e ela tá com fome. Precisa de leite. O que o senhor pode fazer pra ajudar?
- Como é o seu nome?
- Miguel.
- Quantos anos você tem? E sua irmã?
- Eu tenho doze anos e minha irmã tem cinco meses.
- Cinco meses? Cadê a sua mãe? - disse o oficial, agora demonstrando alguma emoção nas palavras.
- Ela saiu e nos deixou trancados em casa. Acho que ela foi atrás do ex-marido dela. Acho que ela tem depressão. Já teve até internada.
- E esse telefone é de onde?
- É meu celular. Eu escondi pra ela não ver.
- E não tem como vocês saírem.
- Só se eu arrebentar a porta.
- Miguel, sua mãe sempre faz isso?
- Quase sempre. Ela me bate. Tenho marcas. Tô machucado. O que o senhor pode fazer?
Em seguida, o policial e alguns companheiros foram até a residência de Miguel e constataram a situação. Ele e sua irmã estavam desnutridos e sujos.
O que mais me chamou a atenção foi a forma tranquila que Miguel falava com o policial. Nem parecia uma criança. Normalmente, em sua situação como aquela, uma criança falaria de forma desesperada, chorando, soluçando, demonstrando muita preocupação.
Mas toda aquela situação de abandono e violência transformou a infância de Miguel em um pesadelo e ele já parecia acostumado com aquilo.
O caso foi levado à Justiça. A mãe desnaturada perdeu o chamado poder familiar e ficou detida por alguns dias, mas não sofreu grandes sanções. As crianças ficaram com os avós paternos e aparentemente estão bem.



E as meninas das barrigas tiram os filhos, calam seus meninos, selam seus destinos”. “Vejo almas presas chorando em meio a dor”. Trechos das músicas Mais que um mero poema e Anjos das ruas, da banda Rosa de Saron.

11 comentários:

  1. Nossa, seus textos são muito profundos, e muuuito bons!
    Um beijo.
    http://www.garotadolivro.com/

    ResponderExcluir
  2. É muito triste a situação de algumas crianças no nosso país.
    Infelizmente notícias assim se repetem sempre e parece que as autoridades não dão a devida atenção a isso...

    O Outro Lado da Raposa

    ResponderExcluir
  3. Muito triste mesmo a situação das crianças, nem é só aqui em nosso país, tem coisas assim no mundo todo e claro, nos países mais pobres é pior...espero que as crianças estejam mesmo bem e consigam seguir com suas vidas e sejam felizes, adorei o trecho do Rosa de Saron, lindo!

    Daily of Books

    ResponderExcluir
  4. Oi Diego!
    Eu fico muito triste com esse tipo de situação e às vezes, as sansões impostas aos pais, como a perda do poder familiar, não são boas para crianças. Muitas vezes, elas vão parar em abrigos ou orfanatos, longe de uma familia que poderia lhe ar amor, o que é muito triste. O pior é que nem sei como fazer esse sistema funcionar melhor... Só espero que as crianças desse país possam ser mais bem tratadas e crescerem felizes.
    Belo texto!
    Beijos

    LuMartinho

    ResponderExcluir
  5. Oi Diego,
    Que triste esse texto, mas é a realidade.
    Muita das vezes a vida nos impõe um 'crescer' mais cedo =/

    bjs e tenha uma ótima semana
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  6. Olá Diego!

    Vira e mexe surge algo assim nas TVs e isso é extremamente triste. Acho que há pessoas que não deveria ter o direito de ser mãe, porque isso não se faz com ninguém.

    Parabéns pelo texto :)


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  7. Olá. Ler sobre situações assim me deixa muito debilitada. Tenho um bebê de dois meses que e a razão da minha vida. Eu não consigo imaginar como alguém pode fazer mal a alguém, ainda mais crianças, indefesas, muitas vezes sem voz.
    Lindo texto.

    Vidas em Preto e Branco 

    ResponderExcluir
  8. Oi Diego!
    Apesar da situação triste, fico feliz que as crianças tenham sido tiradas da mãe. Não é todo mundo que nasceu pra cuidar de alguém e, nesses casos, as pessoas deveriam ter consciência da sua falta de cuidado e não colocar uma criança no mundo pra sofrer.
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  9. Oi, Diego!
    Com tanta informação é incoerente homens e mulheres colocarem filhos no mundo sem responsabilidade para tal. Saber cada caso de abandono é colocar o dedo na ferida social, de um país em que a estrutura familiar se desfez por conta da falta de assistência de um governo omisso. A alma amorosa do brasileiro se perdeu...
    Beijus,

    ResponderExcluir
  10. Caramba, que relato, hein? É tão triste saber que existem mais e mais "mães" assim :/

    O pior de tudo é que esse Brasil é um país praticamente sem leis. Fico me perguntando como uma insana dessas pode não ser punida severamente :/

    Adorei o texto! Abs!

    Leitura Silenciosa | Blog | FanPage

    ResponderExcluir
  11. Que tenso!!
    Abre um leque de discussão aqui visse, enorme
    É tanta história assim que a gente ouve que passa a ser comum
    É muito triste

    ResponderExcluir

Suas palavras serão bem vindas. Seu comentário será respondido em sua página. Muito obrigado por comentar.