terça-feira, 24 de novembro de 2015

Sorte

A sorte começava a mudar para Augusto. A sua vida de azar parecia ter ficado para trás quando conheceu Alícia. Logo ele que havia desperdiçado várias oportunidades de mudar a sua vida para melhor.
Quando a conheceu, sentiu algo extremamente especial em seu coração, como se soubesse que ela era a escolhida, a tão esperada mulher de sua vida.
Eles trabalhavam no mesmo prédio e ele a viu quando seus caminhos se cruzaram. Quase todos os dias eles se cruzavam e tudo que ele falava era um “oi”, “bom dia”.
Então, duas semanas depois da primeira vez que a viu, ele teve coragem suficiente para falar com ela e a convidar para um jantar. Ela ficou surpresa, sorridente, mas negou o convite, alegando que estava muito atarefada de trabalho.
Ele não se abateu e, sempre que se cruzavam pelo caminho, ele a convidava para um simples bate bapo depois do expediente, mas ela se negava educadamente, fazendo jogo duro.
Até que um belo dia ele a convidou novamente.
- Puxa, você deve ser a pessoa mais atarefada da face da terra! - ele disse de um jeito engraçado e ela sorriu. - Eu só quero te conhecer e eu não mordo, viu? - ele fez uma pausa, olhando nos olhos dela, mas ela não disse nada. - Dez minutinhos e você se livra de mim pra sempre. É a sua grande chance.
Ela aceitou o convite e, depois do trabalho, eles foram numa cafeteria ali perto e o que deveria ser apenas dez minutos acabou durando um pouco mais de duas horas de conversa divertida.
Nos outros dias, eles continuaram conversando e, depois de duas semanas, começaram o relacionamento. Ele queria algo sério e ela também. Parecia que haviam sido feitos um para o outro. Almas gêmeas, como dizem.
A sorte de Augusto mudou. Oportunidades apareceram e ele não as desperdiçou. Começou a se dar bem nos negócios e a ganhar um bom dinheiro. Ganhou até na loteria o valor de R$ 101.823,26 e comprou um belo carro.
No fim do ano, decidiram ir para Búzios e passaram o melhor réveillon de suas vidas. Tudo estava tão perfeito.
Na volta para casa, Augusto estava tão feliz. Dirigiu devagar. Não tinha nenhuma pressa. Mas numa ladeira, outro carro fez uma ultrapassagem perigosa e veio direto na direção de seu carro. Não deu tempo nem de desviar.
Todo o mecanismo de segurança do carro não serviu para nada. Augusto e Alícia morreram na hora. Parece mesmo que tinham sido feitos um para o outro.


E depois do começo o que vier vai começar a ser o fim”. Trecho da música Depois do começo, da banda Legião Urbana.

8 comentários:

  1. Nossa, que fim trágico! Que pena que muitos casais e famílias terminam assim tragados pela irresponsabilidade alheia... Que bom que as vezes essas pessoas tiveram uma vida plena como esse casal... fiquei triste com o final... mas ao menos eles viveram, deram uma chance ao amor!

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Ameeeeeeeeeeeeeeeei *.*
    Eu também escrevo e me senti em casa aqui!!!
    Parabéns!!

    Adorei seu blog, tô te seguindo *.*

    Beijinhos :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Nossa, que trágico! Uma pena que a história tenha acabado assim, mas pelo menos a sorte dele mudou.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem? Sou novo por aqui e adorei o blog e o conteudo. Parabéns!

    http://www.blogmemories.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Diego!
    Nossa, fui pega de surpresa por esse final trágico. Fiquei com muita pena dos dois. Ainda bem que o tempo que estiveram juntos foi feliz.
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Diego!
    Passando pra agradecer a visita e avisar que tem post novo lá no blog. =)
    Bom domingo!
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Diego,
    Tava super feliz por ela ter conversado com ele e boom veio esse final.
    Dessa vez não há deduções, tem coisa que ninguém prevê. :(

    tenha uma ótima semana =D
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  8. Olá, Diego. Tudo bem?
    Cara confesso que espera um final feliz para eles, o que acabou me surpreendendo muito. Por mais complicado que seja entender, algumas pessoas de fato não nascem com muita sorte.
    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Suas palavras serão bem vindas. Seu comentário será respondido em sua página. Muito obrigado por comentar.