terça-feira, 22 de setembro de 2015

Armação do destino

Renato estava em casa, vendo um filme quando o telefone tocou.
- Oi – disse ele, meio impaciente, afinal o filme estava numa parte boa e ele não gostava de interrupções.
- Oi – disse a voz feminina do outro lado da linha. – Renato, é a Clara, lembra?
- Lembro sim. Lembro de todos da escola.
- Pois é. Tô te ligando porque uma pessoa pediu que eu ligasse...
- Quem? – Renato estava curioso.
- Lembra da Carol?
- Lembro muito bem. O que tem ela?
- Foi ela que pediu pra eu ligar pra você.
A Carol pediu pra Clara me ligar? Que estranho, pensou ele. Mas ele estava gostando. Ela era simplesmente a garota dos sonhos dele quando estudaram juntos.
- Ela pediu que eu marcasse um encontro hoje à noite.
- Você tá brincando, né? Isso só pode ser uma brincadeira – disse ele, meio desconfiado.
- Não. Tô falando sério. Ela quer muito te ver. Disse que você poderia escolher o local e o horário.
- Por que ela não me ligou então?
Era uma pergunta válida. Ele ainda estava desconfiado.
- Ela não tem crédito...
Apesar de não estar convencido da resposta, ele concordou. Disse o lugar e a hora em que se encontrariam.
No local combinado, o seu restaurante preferido, perto das oito horas, lá estava ele, todo arrumado e perfumado. Sentou-se num dos cantos e esperou um pouco. Passaram-se quinze minutos além das oito e ele já começava a ter certeza de sua desconfiança, quando ela apareceu, deslumbrante.
Ele não conseguia nem acreditar. Pensou que estava sonhando. Ele se levantou e puxou a cadeira para que ela sentasse. Pegou numa das mãos dela e ela se sentou.
- Você está tão linda – ele disse, olhando-a de ponta à cabeça.
- Obrigada. Você também está ótimo – fez uma pausa e deu um sorriso. – Quanto tempo, né?
- Pois é. Eu sinto muita falta da escola, principalmente de você.
Ela ficou meio sem graça, aparecendo algumas manchas vermelhas em seu rosto.
- Por isso você pediu pra Clara me ligar? – disse ela.
- Na verdade, foi ela que me ligou, dizendo que você tinha pedido pra ela ligar – disse ele com um sorriso sem graça no rosto.
Ela sorriu. Já tinha entendido a armação de Clara.
- A Clara sempre fez essas brincadeiras na escola, mas por essa eu não esperava – disse ela e fez uma pequena pausa. – Acho que ela resolveu fazer isso depois que eu disse pra ela uns dias atrás que eu sentia sua falta. Eu disse que das pessoas da sala a que mais sinto falta é você. Estranho, né? A gente nem tinha tanto contato...
Ela sente a minha falta, ele pensou.
- Eu pensei que você não iria nem aparecer.
- Era uma armação, mas pelo menos eu apareci – disse ela sorrindo e ele também sorriu.
- Nunca pensei que você sentisse a minha falta. Sério, eu não esperava por isso, apesar de desejar que isso acontecesse.
O coração dele batia muito acelerado, mas parecia estranhamente calmo.
- Parece que você se enganou e se subestimou – ela disse e pegou na mão dele. – Acho que a Clara fez bem. Só assim pra gente conversar.
Ele aproveitou o momento, chegou bem perto dela e esperou que ela completasse o movimento do beijo.
Ela o beijou suavemente e eles ficaram agarradinhos ali por um tempo, namorando sem nenhuma pressa.
Depois pediram algo para comer e conversaram por mais duas horas, como nunca tinham feito antes, mesmo estudando na mesma sala durante três anos.
No fim da noite, ela disse que tinha esperado muito para ter essa conversa e que não queria mais perder tempo. Queria começar um relacionamento sério e ele concordou completamente. Eles sentiam que seus pensamentos convergiam na mesma direção.
Ele a levou para a casa dela e se beijaram mais uma vez, sentindo que muitos outros beijos viriam.

"E, hoje em dia, como é que se diz eu te amo?". Trecho da música "Vamos fazer um filme", da Legião Urbana.

9 comentários:

  1. Oi Diego!
    A Clara é aquela amiga que não aguenta um casal de mimimi e parte pra ação hahaha! Gostei dela. =)
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Ooi, tudo bom??
    Isso nunca aconteceria comigo porque eu sou do tipo de pessoa que não atende o telefone se estou vendo algum filme HUSHAUSH Essa Clara me representou quando vejo algum casal de mimimi
    Beijoos,
    Sétima Onda Literária

    ResponderExcluir
  3. Aaaah, que bonitinho!
    Achei uma graça a história.
    Adorei.
    :)

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  4. Olá! Tudo bem?

    Rapaz, gostei do texto. Bem legal!
    Parabéns pela escrita!:)

    Segui seu blog, siga nosso blog Irmãos Livreiros também. Ficarei super feliz! :)

    Abraços!
    Danny
    Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir
  5. Oiii
    Mais uma vez um texto muito fofo!! *-*
    Parabéns!

    Beijos
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oii Diego! Por mais pessoas como a Clara rsrsrs! Menina esperta e com muito talento pra cupido. Belo texto! Parabéns!

    Abraços!

    http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Diego! =D
    Passando pra agradecer a visita e avisar que tem Infinitas Vidas Informa lá no blog. ;)
    Abraços,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  8. Olá Diego,
    Adorei seu texto.
    A Clara é o tipo de amiga que todo casal mimimi precisa haha
    Você poderia escrever sobre o que acontece a Clara.
    Beijos
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  9. Oi Diego,
    Que lindos, adorei o reencontro deles.
    Que amiga cupido, das boas haha

    tenha um ótimo final de semana
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir

Suas palavras serão bem vindas. Seu comentário será respondido em sua página. Muito obrigado por comentar.