quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Você teve a sua chance

Ronaldo e Mariana estavam namorando há seis meses e ele então a convidou para morarem juntos na casa dele.
Tudo estava indo muito bem no começo e eles estavam se divertindo muito nessa fase. Era como se estivessem numa constante lua de mel.
Mas, depois de três meses, os pequenos defeitos um do outro começaram a aparecer.
Mariana já não achava Ronaldo tão romântico assim. Na verdade, muitas vezes ele a tratava de forma bruta e insensível.
Ronaldo já não achava Mariana tão madura assim. De fato, ela tinha manias infantis e sua voz fina não agradava mais.
Ele começou a chegar tarde em casa, geralmente depois de ter bebido algumas cervejas. E, certo dia, Mariana reclamou:
- Você sabe que eu não sou ciumenta, mas você está exagerando. Assim não vai funcionar.
- Não posso mais nem beber com meus amigos?
- Claro que pode, mas todo dia não dá!
Ele disse que ia melhorar, ia diminuir suas saídas com os amigos. E ele começou a chegar cedo em casa e, após tomar um banho rápido e de dar um beijinho nela, passava a noite quase toda jogando vídeo game. E, depois de alguns dias, Mariana novamente reclamou:
- Você sabe que eu não sou histérica, mas você está exagerando de novo. Assim não vai funcionar.
- Não posso mais nem jogar vídeo game?
- Claro que pode, mas todo dia não dá!
Ele disse que ia melhorar e no outro dia a levou para jantar e depois foram para uma festa com alguns amigos em comum.
Dias depois, Ronaldo começou a jogar futebol à noite três vezes por semana e nos dias livres não fazia nada diferente com Mariana.
Ela reclamou mais uma vez que o namoro estava virando uma rotina ruim. Mas dessa vez ele parece que não ouviu ou fingiu que não escutou, pois não mudou absolutamente nada.
Depois de mais uma noite de futebol com os amigos, quando ele chegou em casa, viu sua namorada sentada no sofá e havia duas malas ao redor. Ele ficou assustado e perguntou:
- O que é isso?
Ela se levantou, pegou as malas, começou a andar em direção à porta e disse apenas:
- Você teve a sua chance.
Depois de ela sair, ele ficou muito triste e decidiu dar um tempo para ela pensar melhor. Depois de uma semana, ele ligou para ela.
- Eu sei que errei, mas prometo que vou melhorar.
- Você já me disse isso antes e não melhorou. Infelizmente, não dá mais. Como eu disse, você teve a sua chance.
Ela desligou e ele desmoronou na cama. Passou dias mal e então começou a perceber que ele tinha mesmo que melhorar. Não por ela, mas por ele mesmo.
Tempos depois, com uma vida muito boa emocionalmente, ao relembrar dessa situação, ele sorriu e percebeu que foi a melhor coisa que já tinha acontecido na sua vida.


Já que você não está aqui, o que posso fazer é cuidar de mim”. Trecho da música Vento no litoral, da banda Legião Urbana.

9 comentários:

  1. OLá, Diego.
    Gostei bastante do seu texto. Parabéns, você escreve muito bem. Tem horas que só aprende levando uma sacudida da vida.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Oi Diego,
    Ótimo texto, às vezes precisamos nos decepcionar para crescer né.
    Tem gente que só entra na nossa vida pra ensinar algo...não pra ficar.

    até mais e tenha uma ótima sexta.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  3. Oi Diego!
    Estagnação não é uma coisa boa em nenhuma "área" da vida, seja amorosa, profissional ou pessoal. Às vezes precisamos de um chacoalhão pra perceber isso e amadurecer.

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  4. Acho muito legal como você sempre relaciona seus textos com uma música, e os dois sempre se encaixam direitinho.
    Queria saber de onde você tira essas ideias...

    Beijos
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raíssa, as ideias sobre os textos geralmente vem quando penso num tema central e aí começo a escrever e vai surgindo o texto. No caso deste texto especificamente, eu pensei na frase "Você teve a sua chance" e aí foi surgindo o casal que não se entende tão bem.
      Algumas coisas vem do meu cotidiano mesmo.
      Sobre as músicas, quando não vem me vem na cabeça logo uma música que tenha relação, eu procuro no google haha. Mas às vezes é meio difícil de achar a música.
      Já teve caso que a música inspirou o texto também.
      Abraços.

      Excluir
  5. Olá, Diego, tudo bem?
    Adorei o conto. A mensagem abordada é bem profunda, pois faz o leitor refletir sobre momentos que literalmente desabou emocionalmente e com o passar do tempo viu que aquilo foi necessário.
    Costume pensar assim, quando coisas ruins acontecem em minha vida. Afinal, a vida é feita de momentos, sejam eles bons ou ruins serão nossas vivências aqui na terra.
    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Acho que esses momentos são mesmo essenciais para nosso amadurecimento, eu já passei por cada uma e no fim dessas coisas só tenho um fato para dizer: foi essencial para que eu evoluísse. Vento no litoral é uma música incrível, esse trecho em especial é bem tocante.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. As vezes a gente aprende de formas diferentes do que espera néh?!? O final do relacionamento deu um up na vida dele, a atitude dela de não insistir numa coisa que não estava dando certo foi a melhor e a dele de tentar consertar para si mesmo o que não estava legal também... Os dois mostraram ser pessoas que se amam, não da para amar o outro quando a gente não se ama.

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. Oi Diego, tudo bem?
    Passando pra agradecer a visita e avisar que tem post novo saindo do forno. =D
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir

Suas palavras serão bem vindas. Seu comentário será respondido em sua página. Muito obrigado por comentar.