quinta-feira, 2 de junho de 2016

Ajuda fatal

Jean era um músico talentoso, tocava e cantava à noite em bares e pubs pela cidade. Sua pequena fama e reconhecimento aguçaram seu ego e ele acabou caindo na armadilha da droga, que foi entrando lentamente na sua vida, por meio de membros e de fãs da sua banda.
Depois de quatro anos usando vários tipos de drogas ilícitas, sua pequena fama acabou completamente. Ninguém queria contratá-lo para uma apresentação musical, os supostos amigos sumiram e sua aparência deixava transparecer o uso de crack.
Ele já havia passado por tratamento e sua namorada tentava ajudá-lo a superar a situação.
Infelizmente, dois anos depois a situação se agravou e o pior aconteceu.
Depois uma longa noite de uso de crack, álcool e cigarro, Jean acordou e viu sua namorada morta ao seu lado, apunhalada por vários golpes de faca. Logo em seguida, ele foi preso, mas disse que não se lembrava de nada.
Um psiquiatra, entrevistado por uma emissora de televisão, após a notícia chocar a cidade, disse que talvez Jean não se lembrasse mesmo do que tinha feito. Ele disse que, em casos de uso recorrente de drogas, é comum a perda de memória recente.
Tudo que Jean se lembrava é que ele e a namorada tiveram uma discussão como tantas outras. Talvez a morte de Karen – a namorada de Jean - tenha sido causada por sua tentativa de evitar que ele usasse a droga. Ela morreu por tentar ajudar o seu próprio namorado.
Muitos poderiam pensar que ela deveria ter terminado o namoro e que seguisse a sua vida, mas Karen o amava e não iria abandoná-lo quando ele mais precisava de apoio e ajuda.
A sua decisão acabou causando a sua morte, mas no fim ela sabia que tinha tentado fazer o que era certo aos olhos dela.


Há jovens nas esquinas, com drogas nas mochilas, curtindo uma liberdade artificial.” Trecho da música “Uma canção de amor pra você”, da banda Catedral.

7 comentários:

  1. Oi Diego.
    Coitada da Karen.
    Mesmo o amor não é suficiente quando a pessoa não está disposta a se ajudar. Fiquei com pena dela. =/
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  2. Olá, Diego.
    Infelizmente essa é a situação de muitos jovens. Nem sei o que dizer porque só quem está passando por isso que sabe. Tem que partir da pessoa querer ser ajudado, mas as vezes a pessoa já passou desse ponto. Parabéns pelo seu texto, é um alerta.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Apesar de agora este texto ser apenas fictício, ele é realidade em muitas partes do mundo. Até mesmo, e principalmente, aqui no Brasil. As pessoas devem ter consciência de que isso não é bom, e além de prejudicar-se a si mesmo, prejudica muito mais aos outros que estão por perto.

    Blog Decidindo-se \o/

    ResponderExcluir
  4. Olá, Diego! Tudo bem?

    Gostei bastante do texto, na verdade sempre gosto dos seus texto tão reais e cheios de reflexão. Com esse texto percebemos o quanto às vezes a melhor pessoa para nos ajudar somos nós mesmos. Precismos é se tocar disso e buscar a melhoria, seja qual for o problema.

    Até mais. https://realidadecaotica.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Diego, tudo bem?
    Passando pra agradecer o comentário e avisar que tem post novo no blog. :D
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  6. Oi Diego,
    Que triste, mas real esse texto.
    Karen completamente disposta a salvar seu amor, mas ele não queria ser salvo :(

    tenha uma ótima semana.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  7. É triste pensar que esse texto é real, muitas pessoas acabam com a própria vida e com as dos amigos e familiares por causa das drogas, as vezes nem amor consegue salvar,
    Beijoos,
    Sétima Onda Literária

    ResponderExcluir

Suas palavras serão bem vindas. Seu comentário será respondido em sua página. Muito obrigado por comentar.