quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Namoro proibido

Adriana e Tadeu estavam namorando há pouco tempo, estudavam na mesma faculdade, mas viviam em mundos completamente diferentes. Ela era da alta sociedade e ele era apenas um estudante, sem grandes expectativas financeiras, vindo de uma família humilde. Mas nada disso importava para Adriana, que viu nele o homem que ela queria ao seu lado, um sujeito simples, romântico, determinado e confiante.
Passados dois meses, ela finalmente decidiu apresentá-lo à família, num almoço comemorativo. Os pais dela tiveram uma primeira impressão positiva de Tadeu, mas, à medida que foram descobrindo que ele vinha de uma família pobre e sua melhor perspectiva era se tornar professor e pesquisador universitário, essa impressão deu lugar a uma clara antipatia e oposição ao namoro, na forma de indiretas e indelicadezas sutis.
Por meio de comentários preconceituosos, o pai dela começou a discursar que o cargo de professor universitário era algo medíocre, apesar de ultimamente ter alcançado algum reconhecimento social e financeiro. Para ele, poucas profissões mereciam respeito, destacando especialmente os grandes investidores financeiros e os médicos.
- Pra você dinheiro pode não ser importante, mas, acredite, esse namoro de vocês não vai dar certo. Vai chegar um momento que ela vai enxergar que você é só mais um desses caras que não vão se dar bem na vida. E nessa hora ela vai te largar – disse o pai dela, sem nenhum pudor, quando os dois estavam a sós.
- Talvez o senhor tenha razão. Eu entendo a sua preocupação, mas eu realmente não acho que o dinheiro seja o mais importante num relacionamento. Eu prefiro acreditar que é o amor, mas não qualquer tipo de amor, mas aquele verdadeiro, pelo qual você luta e que você sonha um dia encontrar – respondeu Tadeu, de forma diplomática e sincera.
- É um belo discurso, mas um relacionamento não é feito só de amor. Espero que você saiba disso. Mas, enfim, eu não posso impedir esse namoro, afinal já passamos dessa época. De qualquer forma, quero que você saiba que não tem o meu apoio.
- E, então, espero que vocês tenham se dado bem – disse Adriana a Tadeu, depois que ficaram a sós.
- Super bem – ele disse sorrindo. Ela o abraçou e disse que ia ficar tudo bem, que logo seu pai ia começar a gostar dele.
Apesar de dizer o contrário, alguns dias depois, Augusto começou seu plano de sabotar o namoro de sua filha com Tadeu. O seu primeiro ato foi tentar persuadir Adriana a mudar da faculdade federal que frequentava para uma particular que tinha a nota mais conceituada na América Latina. Mas ela percebeu o intuito do pai e disse que não seria adequado mudar depois de cursar quatro períodos na universidade federal.
Na outra semana, Augusto disse que sua empresa ia mudar a sede para outra cidade e que Adriana devia ir com a família. Apesar de não acreditar na mudança de sede da empresa, ela disse que não iria mudar, pois poderia morar de aluguel numa casa simples perto da faculdade. Ele tentou argumentar que a mudança seria benéfica para os estudos dela, mas não conseguiu convencê-la.
Percebendo que Adriana não iria ceder às suas artimanhas, Augusto decidiu acusar Tadeu de tráfico de drogas, armando um flagrante pagando alguém para colocar drogas na mochila de Tadeu. Mas Tadeu abriu sua mochila para pegar um livro antes de a polícia chegar e percebeu a armação, descartando as drogas e evitando sua prisão. Depois ainda teve a calma de ligar para Augusto e dizer:
- Você não vai conseguir me afastar da sua filha, seu covarde.
No outro dia, Adriana decidiu colocar em prática a sua mudança para uma casa perto da faculdade e se afastou do pai. Sua mãe tentou apaziguar a situação, mas só depois de um ano Augusto reconheceu seu erro e pediu perdão à filha, que o perdoou, impondo como condição que ele concordasse em entrar com ela na igreja para seu casamento seis meses depois.
Ele aceitou relutantemente, mas no grande dia Augusto viu a felicidade de Adriana e, como se voltasse a enxergar, sentiu-se bem como há muito tempo não se sentia, esvaziado de todo preconceito contra Tadeu, que também o perdoou entre lágrimas.


""I want to share all my love with you [Eu quero dividir todo o meu amor com você]". Trecho da música Endless Love de Diana Ross e Lionel Richie.

11 comentários:

  1. Oi Diego, tudo bem?
    Fico feliz que Augusto tenha percebido seu erro no fim da história. Muitas pessoas realmente acreditam que dinheiro traz felicidade, mas não percebem que há muita coisa mais importante.
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Gostei da história e é uma pena que eu reconheça claramente muitas pessoas que conheço aí, inclusive algumas da família.Como pode o ser humano ser tão mesquinho, como pode ignorar tanto o amor, colocar o dinheiro acima dele? É triste, é lamentável.
    Tomara que esse seja o desfecho de muitas histórias reais!

    Beijos,
    Kemmy|Duas leitoras

    ResponderExcluir
  3. Olá, Diego.
    Gostei muito do texto. Que bom que deu tudo certo hehe. Mas concordo com o pai da garota que é bem difícil de duas pessoas de lados sociais bem diferentes darem certo. Mas tem exceções é claro hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Olá, Diego! Tudo bem?

    Confesso que cogitei a ideia de um final trágico para esse conto, mas que bom que tudo se encaminhou para um final feliz e positivo.

    Uma ótima semana. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Acredito que o pai poderia ter abordado o assunto de uma forma diferente. Ali ele foi claramente preconceituoso. Se eu tivesse no lugar teria a preocupação de saber se o rapaz realmente ama minha filha e se quer estudar e construir seus próprios bens por mérito de seus serviços, não porque mamãe e papai são ricos. Parabéns pelo texto, fiquei feliz que tudo terminou bem. Abraços

    Blog Literário 2

    ResponderExcluir
  6. Oie tudo bem? Mais um texto que curti bastante, e que bom que deu tudo certo no final! Dinheiro não é tudo na vida!
    Bjss, comenta neste post por favor, ajudaria muito:
    http://resenhasteen.blogspot.com.br/2016/09/geometry-dash-raiva-e-musica-em-formato.html

    ResponderExcluir
  7. Olá Diego,
    Ótimo texto e trilha sonora.
    Eu não sei como reagiria se meus pais fossem contra um relacionamento meu. Meu pai sempre me deu conselhos tão bons que quando ele é contra algo, já fico com pé atrás haha e mãe é mãe...

    tenha uma ótima quinta
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  8. Que história mais linda! Amei me aprofundar em cada linha que você citou. ❤

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  9. Oi, Diego! Tudo bem? Nossa, não gostei nem um pouco da família da Adriana! Mas fico feliz por saber que no final tudo acabou bem :) Ótimo texto, como sempre.

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Eu pensei que o final ia ser ruim (trágico), mas que bom que não foi rsrs amei o texto.
    Bjs!
    Refúgio da Ju

    ResponderExcluir
  11. Oi Diego, tudo bem?
    Passando pra agradecer o comentário e avisar que tem post novo. :D
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir

Suas palavras serão bem vindas. Seu comentário será respondido em sua página. Muito obrigado por comentar.