sexta-feira, 10 de março de 2017

A flor

Maurício tinha pouco mais de 15 anos, estava começando o ensino médio e não tinha muitas experiências com mulheres, como era de se esperar pela sua pouca idade.
Desde os seus doze anos, ele vinha colecionando amores platônicos em cada ano de colégio, porém nunca tinha demonstrado nenhum interesse direto por nenhuma delas.
Mas, agora no ensino médio, ele imaginava que as coisas iriam finalmente mudar e ele se tornaria um dos garotos populares do colégio. Entretanto, pouco tempo depois do começo das aulas, ele voltou a se interessar por outra colega de aula, Natasha.
Ele decidiu que não ficaria apenas observando e para isso ele bolou um plano perfeito. Sabia que precisava vencer a sua timidez e começar a interagir com ela, aproximando-se do grupo de colegas mais chegados dela.
Ele colocou em prática seu plano e, poucos dias depois, eles estavam bastante enturmados e próximos, mas ele não percebia que ela só estava se aproveitando dele, que a “ajudava” a fazer trabalhos e atividades da escola.
Depois de algum tempo, Maurício decidiu dar o xeque-mate. Ele comprou flores e mandou que entregassem para Natasha na escola. No buquê havia um bilhete, que dizia somente: “Você vai ter que adivinhar”.
Logo que começou o intervalo, ela foi direto falar com Ricardo.
Foi você? – ela disse, parecendo emocionada.
Eu o quê? – ele respondeu com uma expressão de surpresa.
Que me mandou flores, ué… – agora ela parecia desconfiada.
Ah! Sim. Você já recebeu?
Ele não tinha a menor ideia de que flores ela estava falando, mas ele viu a oportunidade que tanto esperava desde o começo do ano letivo e a agarrou. Natasha, então, foi até ele e o beijou.
Maurício viu aquela cena de perto, sem acreditar que ela foi falar com Ricardo. Maurício imaginou que ela correria diretamente pros braços dele próprio, mas acabou se decepcionando.
Ele até pensou em revelar a verdade, mas, por sorte, não disse nada, pois a situação certamente seria constrangedora. No silêncio, ele evitou que seus colegas soubessem da situação e se livrou da inevitável gozação que sofreria.
Tempos depois, no fim do ensino médio, Natasha e Ricardo ainda estavam juntos, namorando, e Maurício continuava sem sorte com as mulheres.


Ouvi dizer do teu olhar ao ver a flor. Não sei por que achou ser de um outro rapaz. [...] Minha flor serviu pra que você achasse alguém, um outro alguém que me tomou o seu amor. E eu fiz de tudo pra você perceber que era eu”. Trechos da música A flor, da banda Los Hermanos.


8 comentários:

  1. Olá, Diego! Tudo bem?
    Me identifiquei bastante com o drama vivido com o Mauricio, e certamente não serei o único leitor a se vê na história. Vai soar repetitivo, mas devo dizer novamente isso: cara, gosto muito dos teus textos, você sempre traz uma mensagem que faz com que eu reflita.

    Meus parabéns!
    Até mais. https://realidadecaotica.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Diego!

    Esse é seu primeiro texto que leio e gostei muito, principalmente pelo realismo da história (que não encontro com tanta frequência por aí...). Continue escrevendo. Parabéns!!

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá Diego, tudo bem?
    Amei o texto sincero e realista. Afinal quem nunca gostou de alguém mas não foi correspondido né? Talvez, ela só não era a garota certa pro Maurício,rs.
    Abraços!

    Http://excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá, Diego.
    Gosto tanto dos seus textos. Quando leio eles tenho a impressão que poderia ser comigo o que está acontecendo, me sinto bem próxima. E que situação chata né? Mas enfim, pelo menos serviu de cupido hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi Diego, tudo bem?
    Tomara que o Maurício encontre alguém que corresponda ao seu sentimento. E que bom que o casal que se formou acabou dando certo, pelo menos isso! :P
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  6. Oi Diego,
    Nossa fiquei com tanta pena do Maurício, mas conheço casos iguais, não só de época da escola. Aquele banho de água fria que ninguém espera e murcha os seus sentimentos. Creio que deve ser uma das piores sensações da vida. =/

    tenha uma ótima quarta =D
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  7. Ai, que dó </3 me identifiquei bastante com o Maurício, sinceramente, eu também agiria como ele agiu mesmo que isso me corroesse por dentro...
    Um beijão,
    Gabs do likegabs.blogspot.com ❥

    ResponderExcluir
  8. Oi Diego!
    Passando pra agradecer o comentário e avisar que tem post novo no blog. =)
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir

Suas palavras serão bem vindas. Seu comentário será respondido em sua página. Muito obrigado por comentar.