sábado, 13 de março de 2010

Um conquistador

Durante toda a sua longa vida, Rogério já havia namorado muitas mulheres e ficado com outras tantas. Ele só tinha 25 anos, mas se gabava de já ter feito quase tudo nessa vida. E, quando o assunto era mulher, ele dizia que sabia tudo. E isso era mesmo uma meia verdade, se é que isso existe.
Brincava com os corações das mulheres, como se elas fossem bonecas sem sentimentos. Desfazia-se delas da mesma maneira que as conquistava: rapidamente e sem nenhuma emoção.
Era um típico conquistador, do tipo que não aceita não como resposta. E esse foi seu maior erro.
Quando encontrou uma mulher (o nome dela era Suzana) que não se deixou seduzir por seus truques baratos, ele se viu perdido, relembrando a mulher que o havia deixado. Foi esta mulher (a que o deixou) que fez com que ele se transformasse num homem vazio e sem sentimento.
Rogério, então, decidiu que não descansaria até ter Suzana ao seu lado. Talvez por que quisesse parar de ser um conquistador e quisesse realmente amar novamente. Ou talvez somente por que um conquistador sempre quer conquistar alguém que não cede tão fácil.
De qualquer forma, ele passou a ir aos mesmos lugares que ela ia e a fazer todo tipo de proposta (um almoço, um jantar, um lanchinho, um cafezinho, uma caminhada ou simplesmente uma conversa).
Ela não aceitava nenhuma proposta e se negava a lhe dar o número de seu telefone.
Até que, dias depois, ele descobriu onde ela morava e levou flores, chocolate e um bilhete. No mesmo dia, ela ligou (ele tinha deixado o seu número no bilhete). Disse que não queria ser só mais uma conquista. Ele disse que ela era muito mais, e que estava apaixonado. Ela então o chamou para jantar na casa dela e tudo saiu muito bem, mesmo depois de adormecerem juntos na mesma cama (ele nunca ficava até amanhecer).  
Nos outros dias, eles continuaram se encontrando e novamente o amor nasceu no coração de Rogério, que pediu Suzana em casamento depois de três meses e ela aceitou no mesmo instante.
Quem diria, o conquistador foi finalmente conquistado.

“Quem um dia irá dizer que não existe razão nas coisas feitas pelo coração”. Eduardo e Mônica – Legião Urbana.

11 comentários:

  1. Belo texto.

    “Quem um dia irá dizer que não existe razão nas coisas feitas pelo coração”.

    Nunca paramos pra pensar em certas frases de músicas né? Mas muitas é a nossa pura realidade.
    Bom fim de semana!
    Beeeijos! (:

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Me vi em determinadas partes...
    Mas as coisas não terminaram tão bem como no texto (: rs
    Que a propósito é um belo texto.
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  4. A música do Legião caiu como uma luva.
    Adoro finais inesperados e esse, foi completamente. rs

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Conquiste o amor e continue conquistando a cada dia!
    Um beijo Diego!
    Bom domingo!

    ResponderExcluir
  6. Amei!
    Todo conquistador deveria ser conquistado...
    O amor vale a pena ;**

    ResponderExcluir
  7. - Amei...estou com uma história parecida...ah eessses pegadores rsrs
    bjos

    ResponderExcluir
  8. Parece só acontecer nessas histórias...

    ResponderExcluir
  9. Um dia da caça, outro do caçador...
    Dessa vez ela o conquistou...
    Amei!!!

    Bjs

    ResponderExcluir

Suas palavras serão bem vindas. Seu comentário será respondido em sua página. Muito obrigado por comentar.