terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Um pouco de suspense

 Como em toda boa história de suspense, era noite e chovia. Raios e fortes trovoadas irrompiam pela noite escura.
Para completar o quadro, faltou energia e Isaac, que estava só em casa e tinha apenas 17 anos, começou a ficar com medo.
Ele, então, tentou encontrar uma vela para clarear o ambiente. Tinha esquecido seu celular no quarto e por isso ficou mais difícil achar a vela. Com muita dificuldade e medo, conseguiu pegar uma vela e o isqueiro e a acendeu, ficando um pouco mais tranquilo.
Foi aí que escutou um barulho estranho vindo da parte de trás da casa e se lembrou que poderia ser seu gato, mas o barulho continuou e não era seu gato, pois ele viu que o bichinho estava ao seu lado.
Isaac ficou com mais medo e, então, ouviu um barulho ainda mais estranho vindo da porta da frente. Era um ruído suave, mas assustador, como o som de um giz sobre o quadro.
Seu coração acelerou os batimentos e sentiu tanto medo como nunca havia sentido. Começava a acreditar que a casa era mal assombrada, como nos filmes de terror.
Nesse momento, seus pais chegaram e, quando entraram, viram que Isaac estava muito assustado.
- O que foi, filho? – perguntou sua mãe, aflita.
- Você não viu o que tinha lá fora? Estava ouvindo barulhos muito estranhos.
- Filho, não havia nada lá fora, só uma galha da árvore que caiu aqui em frente e estava rosnando na porta – sua mãe o abraçou, sorrindo da situação. O pai também riu e Isaac acabou rindo também, finalmente se acalmando.


 “Que o riso seja sua fala toda vez que a sua voz acabar.” Trecho da música Nada entre o valor e a vergonha, da banda Rosa de Saron.

4 comentários:

  1. Senti medo só de ler HSAHSAUH Não gosto quando falta a luz não, quase morro UHSUAH
    Beijoos,
    Sétima Onda Literária

    ResponderExcluir
  2. Oi Diego!
    Só de pensar em estar sozinha no escuro numa noite chuvosa, já fiquei com medo hahaha!
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Diego, super me identifiquei ou dessas que não suporta ficar em casa sozinha ainda mais sem energia.
    Beijos
    Julie Amargamente Doce

    ResponderExcluir
  4. Eu sou medrosa, não tinha nada lá fora, ok, eu ainda morreria de medo kkkkkkkkkk

    Bjs, Michele

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

Suas palavras serão bem vindas. Seu comentário será respondido em sua página. Muito obrigado por comentar.