sábado, 20 de junho de 2015

Mais um pouco de suspense

 Mario estava preocupado. Eliane, sua filha, não havia voltado para casa e isso nunca tinha acontecido. Ligou para várias pessoas, mas ninguém sabia o paradeiro dela.
Mais cedo, Eliane saiu para o trabalho e pegou o metrô, como fazia diariamente. Ela estava sentada num dos bancos, sozinha. Um homem bem vestido chegou ao lado dela e perguntou gentilmente se poderia se sentar ali e ela disse que sim.
Ele deu um sorriso, sentou-se e se apresentou, estendendo a mão direita para cumprimentar Eliane.
- Gabriel. Muito prazer.
Ela retribuiu o cumprimento e ele logo começou uma conversa divertida sobre o seu trabalho e como não tinham se encontrado antes, já que ele pegava o mesmo metrô há muito tempo.
Depois de algum tempo, Gabriel, que causou uma boa impressão em Eliane, fez um convite para tomarem um café assim que chegassem à estação que ela desembarcaria. Havia um tempo disponível até que ela entrasse no trabalho e então ela aceitou a proposta.
Eles desceram do metrô e foram andando pela estação, quando Gabriel a puxou para entrar numa porta utilizada somente por funcionários que trabalham naquele local. Ela o seguiu, acreditando que teria um encontro amoroso às escondidas.
À noite, Mario recebeu uma ligação que o deixou completamente desesperado. Sua filha estava morta. Havia sido estuprada e mutilada.
Ele logo confirmou a informação, pois estava passando na televisão e soube que Gabriel já havia matado outras cinco mulheres em circunstâncias muito semelhantes, mas só agora essa informação foi revelada pela polícia.
A sua filha não iria mais voltar e no seu íntimo surgia um grande sentimento de vingança.


“Podem até maltratar meu coração, que meu espírito ninguém vai conseguir quebrar.” Trecho da música Um dia perfeito da banda Legião Urbana.

11 comentários:

  1. Oi Diego!
    Que história triste. :(
    Fico apavorada sempre que vejo relatos punks sobre o que rola nos metrôs lotados. O ser humano é podre.
    Hoje em dia não dá pra confiar em ninguém.
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Que horror, e pensar que coisas assim acontecem de fato....
    Apesar do teor do texto, fico impressionada com a facilidade que você tem em criar estórias assim, que bem poderiam estar nas páginas de um livros..

    Beijos!
    O Outro Lado da Raposa

    ResponderExcluir
  3. Hey!
    Nossa!! Fico aterrorizado com esse tipo de coisa, fico muito perplexo com a capacidade do ser humano tanto de praticar o bem quanto o mal...
    Seu blog é maravilhoso, já estou seguindo, poderia retribuir? ^~^
    Abraços!!
    Blog - Desbravando o Infinito

    ResponderExcluir
  4. Oi Diego! Cara cê tem muito talento de verdade... os posts sempre me deixam curiosos sobre vários aspectos, a vida dos personagens, quem são, porque determinada situação aconteceu. Um livro seu certamente seria foda, seus textos nos deixam curiosos até demais...

    Abraços!

    http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. OI Diego!
    Que história mais triste T_T Mas, mais da realidade em que a gente vive, nunca confie em ninguém, eu sempre penso assim, ainda mais quando saio sozinha pelos metrôs a fora!
    Parabéns!
    Beijos

    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Nossa que texto triste, mas infelizmente e algo que de fato acontece. Não conhecia essa música de Legião, apesar de amar a banda.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, Diego!
    Tem psicopata para todo canto. Mesmo que seja apenas uma história, ela é passível de ser real!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  8. Vixiiiiiiiiiiiiiiii vingança é um sentimento muito perigoso!
    Adoro aquela música, e curtindo muito seu blog!
    Parabéns pelo texto e pelo espaço!
    Grande Beijo!
    Paula Juliana - Overdose
    http://overdoselite.blogspot.com.br/2015/06/resenha-quando-o-amor-e-o-destino-se.html

    ResponderExcluir
  9. Na hora que ela aceitou tomar café com ele eu pensei: "Vai dar merda". Hoje moro na grande São Paulo, mas cresci em cidade interiorana, então aprendi a desconfiar de tudo e de todos.
    Abraço

    Vidas em Preto e Branco 

    ResponderExcluir
  10. Caramba, que assustador. Conforme eu ia lendo eu sabia que algo estava errado, e mesmo assim fiquei aterrorizada, o pior é saber que isso é real, acontece todos os dias, Muito bom
    Peço desculpas pelo meu sumiço dos blogs, tive alguns problemas mas já estou de volta :3 Tem resenha de "Como Eu Era Antes de Você" lá no Sétima se quiser conferir,
    Beijoos,
    Sétima Onda Literária

    ResponderExcluir
  11. Oi Diego!
    Passando pra avisar que tem novidade lá no blog! =)
    Reuni as notícias que achei mais bacanas de junho!
    Espero que goste.
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir

Suas palavras serão bem vindas. Seu comentário será respondido em sua página. Muito obrigado por comentar.