sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Ingratidão

Maria era uma escritora famosa, tinha vários livros publicados e sua vida financeira estava mais do que perfeita. Entretanto, por mais que sua vida estivesse muito bem resolvida, ela acreditava que não estava tão bem assim, vivia reclamando de coisas banais e deixava de ver o quanto sua vida tinha mudado, desde que saiu da sua pequenina cidade natal, largando seu emprego de garçonete para se aventurar no mundo do jornalismo e da literatura.
Ela via sua vizinha panicat e a invejava, desejando aquele corpo sarado, mas não fazia um exercício sequer.
A sua outra vizinha mudava a fachada de casa e Maria logo resolvia que a fachada de sua belíssima casa estava antiquada e precisava de uma revitalização, apesar de parecer impecável aos olhos dos demais vizinhos.
No trânsito, ela não só reclamava como agitava as mãos e, às vezes, esbravejava com outros motoristas. Quando fazia sol, ela murmurava do calor. Quando chovia, ela se queixava, por não querer se molhar justamente na hora que ia sair.
Mesmo quando seus assistentes faziam tudo do jeito solicitado, ela dava um jeito de colocar algum defeito no serviço.
Dias atrás, ela estava assistindo o jornal local e viu uma reportagem sobre um homem que tinha perdido toda a sua casa, móveis e utensílios domésticos durante uma grande tempestade. Quando a equipe de reportagem chegou no local, viu o homem dançando e cantando na chuva, com largos sorrisos e agradecendo a Deus por sua vida ter sido poupada.
A reportagem continuava com outros exemplos de pessoas que passaram por situações dramáticas, mas que preferiam ver o lado positivo das coisas, como um homem que ficou paraplégico e, depois de meses de depressão, viu sua vida se transformar completamente e vivia muito mais feliz do que antes do acidente.
Havia também uma mulher que tinha perdido seu carro recém comprado num acidente muito grave. Ela só teve alguns arranhões e agradecia porque continuava respirando e poderia voltar para a sua família ao final do dia. Ela sabia que não havia feito o seguro do carro, mas isso não a preocupava no momento. Poderia resolver depois.
Eram imagens e histórias comoventes para a maioria das pessoas, mas Maria não conseguia ver motivos para agradecer e na sua mente só vinham lamentações.


Mas digo sinceramente na vida a coisa mais feia é gente que vive chorando de barriga cheia”. Trecho da música Maneiras, de Zeca Pagodinho.

8 comentários:

  1. As palavras da música do Pagodinho resumem tudo, né?
    Na verdade, acho que é aquela questão: a pessoa tem tudo no quesito material, mas não encara o seu falhado lado pessoal e por isso vive insatisfeito, buscando distrações para evitar ver que há coisas mais importantes do que as materiais.
    É um tema sempre pertinente, sem dúvida!

    Ah, estou vindo lá da Estante. Leia mesmo Dumas, apesar dos mosqueteiros serem conhecidos, as histórias dos livros estão bem distantes da maioria das adaptações já feitas, sem falar que, como sempre, os livros são melhores que os filmes.
    E, sim, é uma pena que nos falte Dumas e Austen na literatura atual.

    Abraço e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre vou lamentar a falta de autores que façam o que Dumas fazia: criticar com humor, falar de coisas sérias com leveza.

      Excluir
  2. Olá,
    Dessa vez não conheço o trecho da música citado, confesso que muitas vezes me perco em lamentações, o que não é de forma alguma legal, mas estou tentando me controlar.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Diego, tudo bem?
    Acho que cada um tem o seu fardo pra carregar e tem direito de reclamar dele. Afinal, não somos todos que passamos por situações extremas, mas ainda assim sofremos com as coisas que pra nós são ruins.
    Porém, reclamar o tempo todo e nunca ver o lado bom das coisas e o que tem de maravilhoso em nossa vida também é errado. Gratidão faz bem, traz paz!
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Diego,
    Mais um texto maravilhoso.
    Como a Inês, também tento me controlar com essas coisas e reflito bastante se vale a pena reclamar.

    tenha um maravilhoso final de semana e feriado ♥
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  5. Ta vendo, alguém citou Austen, hehehe é minha escritora preferida!!
    Gostei do texto, fácil e bom de ler!
    Bjinhos

    ResponderExcluir
  6. Maria precisa melhorar néh! Acredito que a felicidade é uma conquista, precisamos trabalhar nela... Essa personagem é a cara de um monte de gente que me cerca, não sabem batalhar sua felicidade, se puxam para baixo.

    E sim, você tem melhorado cada vez mais seus texto. Da gosto de acompanhar Diego, parabéns.

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Oi Diego, tudo bem?
    Passando pra agradecer a visita e avisar que tem review de Perdido em Marte lá no blog. =D
    Boa semana!

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir

Suas palavras serão bem vindas. Seu comentário será respondido em sua página. Muito obrigado por comentar.