segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Segredo


Pedro voltava da escola normalmente. Estava indo para casa a pé, pois sua casa não ficava muito longe dali. Havia sido um dia cansativo e exaustivo. Já estava quase no fim do ano e ele sentia que precisava de férias. Nos últimos dias, não estava tendo aulas, só provas e apresentações de trabalhos.
Depois de andar uns duzentos metros, avistou algumas de suas colegas num restaurante. Era quase meio-dia. Elas deviam estar almoçando. Logo que o viram passando, duas das garotas gritaram o nome dele. Ele olhou e elas fizeram um sinal para que ele fosse até lá.
Apesar da timidez, Pedro foi ao encontro das garotas. Foi nesse momento que ele viu que Rosana estava lá. Ela era a sua paixão secreta desde o primeiro ano do ensino médio e ele nunca teve coragem de expressar o seu sentimento.
As garotas já tinham terminado de comer e tinham pedido a conta.
- Pedro, por que você estuda tanto? Você já passou de ano há muito tempo - disse uma das garotas.
- Você sabe. Eu tô estudando pro vestibular.
- Ah! É verdade – fez uma pausa. Olhou para as outras garotas. - Pois é. Você já passou e nós não. Por isso temos que ir, estudar pra prova. Sabe como é, né? A Rosana vai ficar aqui, pra pagar a conta. Fica com ela aí, enquanto a conta não chega.
- Tudo bem – disse ele, meio constrangido.
As garotas deram dinheiro para que Rosana pagasse as contas delas e foram embora. Ele estava sentado de frente para ela, que o olhou e ia falar algo, mas desistiu.
O coração dele batia tão forte que ele pensava que ia pular para fora de seu corpo.
- Eu sei que essa é uma situação constrangedora, mas foram as minhas amigas que decidiram fazer isso – disse ela. Fez uma pequena pausa. Olhou para ele. - Elas viram que você passava e decidiram te chamar para ficar aqui comigo porque acham que precisamos “conversar melhor”.
- Mas por que elas acham isso?
- Porque elas sabem que eu sempre gostei de você.
Ela sempre gostou de mim, pensou Pedro. Como assim? Ele não estava esperando por isso. Sentiu uma felicidade que nunca tinha sentido. Ele olhou nos olhos dela e ela sorriu, sentindo-se aliviada por ter revelado o seu segredo. Depois, mostrou uma apreensão com o silêncio dele. Ele percebeu e decidiu revelar o seu próprio segredo.
- Também sempre gostei de você.

"Lá fora ninguém vai te querer como eu te quero. Eu tenho verdadeira paixão. Ah, como eu te quero". Trecho da música "Basta só você me olhar", de Maria Cecília e Rodolfo.


2 comentários:

  1. oun *-*
    eu atóron essas historinhas :)
    vai ter continuação?!

    beeijas di [/intimidade ;**

    ps: eu gosto muito dos seus textos, mal's a demora pra voltar aqui, é que to meio que numa briga com o relógio,sabe?! preciso me organizar .-.

    ResponderExcluir
  2. aaaaaaaah eu adoro contos :D
    adorei esse, a linguagem parece de algm que viveu mesmo isso !
    muito bom , simples e bom :)

    bjs :*

    ResponderExcluir

Suas palavras serão bem vindas. Seu comentário será respondido em sua página. Muito obrigado por comentar.